Caso Flordelis e o silêncio dos grandes “pastores”

0
280

Um dos assuntos mais comentados durante essa semana foi a acusação do MP-RJ contra a deputada federal e pastora Flordelis que foi acusada de ser a mandante do assassinato do marido pastor Anderson do Carmo.

No entanto, o silêncio dos pastores famosos e influentes sobre o caso tem incomodado os internautas. Líderes religiosos como Silas Malafaia, Samuel Ferreira, Pastor José Wellington Junior, entre outros, até o momento não se posicionaram.

Vale ressaltar que a igreja de Flordelis era conveniada a Assembleia de Deus Madureira, e o casal [Anderson do Carmo e Flordelis], estavam debaixo da autoridade do bispo Samuel Ferreira.

Entretanto, assim que  começaram a surgir evidências de que a parlamentar estava envolvida na morte do marido, ela foi obrigada a assinar um documento se desligando do ministério de Madureira.

Contudo, o silêncio dos pastores tem chamado a atenção pois se trata de um dos maiores escândalos envolvendo o segmento gospel do Brasil.

Deputado pede cassação do mandato de Flordelis por quebra de decoro

A situação da deputada federal e cantora gospel Flordelis está cada vez pior, e os indícios desse caminho que está sendo traçado apontam para um só lugar, a cadeia.

Foi apresentado pelo deputado federal léo Motta (PSL-MG), uma representação à Mesa da Camara, para que seja encaminhado ao Conselho de Ética, pedindo a perda do mandato da deputada Flordelis (PSD-RJ), por quebra de decoro parlamentar.

Flordelis é apontada pelo Ministério Púbico do Rio de Janeiro, e pela Polícia Civil como sendo a mandante do assassinato do marido, pastor Anderson do Carmo, morto em 16 de junho de 2019.

“Diante da avalanche de provas contra a Deputada Flordelis, fica evidente que a parlamentar não tem condições de permanecer no cargo para qual foi eleita, tampouco exercer os papéis inerentes à vida política”, justificou Motta.

As denúcias contra a parlamentar apontam que ela arquitetou a morte de Anderson, e também o envenenou pelo menos seis vezes antes de mandar executa-lo.

Após a prisão de mais quatro filhos e uma neta, que aconteceu nesta segunda-feira (24), Flordelis foi suspensa do partido.

Vinte e seis senadores também pressionam o presidente da Câmara Rodrigo Maia a pautar fim do foro privilegiado.

Como pedido foi feito por um parlamentar, somente a Corregedoria da Camara pode fazer uma análise preliminar. Apenas partidos que tenham representação no Congresso ou a Mesa Diretora podem fazer pedidos de cassação diretamente ao conselho.

Após o Conselho de Ética analisar o pedido e houver uma decição do colegiado pela cassação do mandato de Flordelis, o plenário ainda precisa referendar  a decisão.

O deputado federal léo Motta (PSL-MG), também é policial civil e cantor evangélico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here