Feiticeiros ameaçam cortar cordas vocais de pastor para impedi-lo de pregar, na Índia

0
233

Depois de demolir a casa de um pastor e levar sua família para a selva, feiticeiros animistas tribais no centro da Índia espancaram severamente o líder cristão, ameaçando cortar suas cordas vocais para que ele não pudesse mais pregar o Evangelho.

Quase um mês depois que os animistas tribais expulsaram a família cristã da vila de Bilood, no estado de Madhya Pradesh, e destruíram sua casa, os animistas tribais emboscaram o pastor Lalu Kirade quando ele voltava de um supermercado.

Liderados por um homem identificado apenas como Laxman, sete indivíduos espancaram, sufocaram e atiraram pedras contra o pastor, segundo relato do líder cristão ao Morning Star News.

“Eles surgiram diante de mim como um bando de cães selvagens”, lembrou o pastor. “Eles me disseram para pedir que meu Deus viesse me resgatar”.

“Minha cabeça começou a girar, fiquei atordoado com o ataque repentino. O sangue da pedrada começou a escorrer da lesão e eu caí no chão. Eu ouvi os homens gritando com a esposa de Laxman, após me baterem com uma pedra. Eles disseram que planejavam me atingir de uma maneira que eu não sangraria. Eles repreenderam as mulheres por não agirem como planejado”, contou.

A sobrinha de Laxman colocou o pé em sua garganta, sufocando-o, enquanto os outros seguravam suas mãos e pernas para que ele não pudesse se mover, disse ele.

“Eu estava ofegante e pensei que morreria”, disse Kirade, acrescentando que a sobrinha de Laxman disse: “Peça ajuda ao seu Deus. Você ora e prega usando suas cordas vocais, eu vou acabar com sua voz hoje”.

Os agressores o atingiram e o chutaram, puxaram suas orelhas ouvidos, o arrastaram pelos cabelos e proferiram palavrões sobre o cristianismo e Cristo, disse o pastor, além de roubar o dinheiro que ele tinha nos bolsos, que equivalia a cerca de 51 dólares.

“O dinheiro havia sido dado a mim como ajuda durante esse período de [novo coronavírus] – era tudo o que eu e minha família tínhamos para sobreviver”, disse Kirade.

Um cidadão que passava pela vila de Bilood viu o ataque e informou aos cristãos locais, que chegaram “bem a tempo” para ajudar o pastor, espantando agressores.

Após o ataque, o pastor ficou com ferimentos internos graves e precisou de pontos no ferimento na cabeça.

“Eu tive um inchaço no pescoço por semanas e não pude comer alimentos sólidos por três dias por causa da dor na garganta”, disse ele.

Histórico violento

Em março, um grupo de animistas tribais – também liderados por Laxman – já havia forçado sua família a sair de casa e a entrar na floresta próxima.

Segundo o pastor, os animistas, que adoram deuses baseados em ancestrais, espíritos e natureza, entraram em sua propriedade alguns dias antes e disseram aos cristãos que seriam expulsos a menos que abandonassem o cristianismo.

Quando a família do pastor se recusou a obedecer a ordem, os animistas tribais continuaram a persegui-los, ameaçando até matar a filha de 9 anos de Kirade.

Embora Kirade inicialmente tivesse decidido não ir à polícia, temendo que provocasse outro ataque, os líderes cristãos locais o convenceram a fazê-lo. Quando os animistas espancaram o pastor, perguntaram-lhe por que ele havia se aproximado da polícia, disse ele.

“Eles insistiram que eu retirasse imediatamente minha queixa na polícia”, disse ele, acrescentando que também o repreenderam por denunciar o ataque à sua filha de 9 anos às autoridades da escola.

No entanto, nenhuma ação seguiu a queixa que ele registrou em março na delegacia de Pandhana sobre o primeiro ataque, o que levou os agressores a não hesitarem em atacá-lo novamente este mês, conform explicou o pastor. Uma segunda queixa que Kirade apresentou na delegacia de Jhirniya no distrito de Khargone também foi ignorada, revelou ele.

“Se ao menos a polícia tivesse tomado medidas em relação à minha queixa anterior, Laxman e sua família não ousariam me atacar novamente”, disse ele.

A Índia ocupa a 10ª posição na lista de observação mundial da organização de apoio aos cristão perseguidos, Portas Abertas para 2020 dos países onde é mais difícil ser cristão.

Em um relatório divulgado na manhã de terça-feira, a Comissão Americana de Liberdade Religiosa Internacional recomendou que o Departamento de Estado adicione a Índia à sua lista de países que se envolvem ou toleram violações flagrantes da liberdade religiosa.

Segundo o relatório, a violência contra cristãos na Índia aumentou em 2019 e houve pelo menos 328 incidentes de perseguição aos cristã em 2019. A comissão disse que os ataques “frequentemente visavam os cultos de oração e levavam ao fechamento ou destruição generalizada de igrejas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here