Para deputado, país onde há perseguição aos cristãos não deve se relacionar com o Brasil

0
223

A perseguição aos cristãos é uma realidade que tem aumentado nos últimos anos. Diversos relatórios de organismos internacionais, como a Portas Abertas e a Bitter Winter, apontam que o cristianismo é a religião mais atacada do planeta, por diversas motivações, sendo a religiosa e política as duas principais.

Como forma de repudiar a perseguição aos cristãos no mundo, o deputado Otoni de Paula, do Partido Social Cristão do Rio de Janeiro (PSC-RJ), pediu ao ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, para que o governo não mantenha relações bilaterais com os países onde o cristianismo é perseguido.PUBLICIDADE 

“A morte de cristãos tem aumentado terrivelmente ao redor do mundo. Não é possível que um ser humano morra apenas porque a sua fé se diverge da fé de outro. O que eu pedi ao ministro é que o Brasil não coloque interesses econômicos acima da vida”, declarou o parlamentar.

O encontro se deu durante uma reunião da Frente Parlamentar Evangélica com o ministro Araújo, onde foram apresentadas propostas de interesse para o governo e o segmento evangélico. A declaração de Otoni, no entanto, ocorreu na última quarta (12), na tribuna na Câmara dos Deputados.

O parlamentar também relatou que Araújo garantiu combater a perseguição aos cristãos enquanto estiver em seu posto, lado ao presidente Jair Bolsonaro. “Eu ouvi do ministro do posicionamento de que, enquanto ele for ministro e Bolsonaro presidente, nós defenderemos a liberdade religiosa”, informou, segundo o JM Notícias.

Ernesto Araújo, por sua vez, disse que o Planalto se manterá empenhado em repudiar a perseguição aos cristãos nos outros países do globo, se comprometendo com a “determinação em fazer algo pelas comunidades cristãs que sofrem perseguição, infelizmente, em muitos lugares do mundo”.

Pedido justificado

Um relatório divulgado pelo Reino Unido um mês atrás, revelou dados preocupantes sobre a perseguição religiosa aos cristãos no mundo atual, o que justifica o pedido do deputado Otoni de Paula.

Segundo o documento, 80% de todos os casos de intolerância religiosa no mundo às vítimas são cristãs, e isso ocorre frequentemente em pelo menos 144 países.

Evidentemente o Brasil não se fecharia por completo ao relacionamento internacional, mas certamente uma postura rígida com relação ao repúdio à perseguição aos cristãos nos países em que ela ocorre, certamente será de grande importância para os seguidores de Jesus Cristo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here