“Igreja é a consciência do Estado”, diz Augustus Nicodemus ao cobrar “voz profética”

0
271

A postura da Igreja de Cristo em relação aos excessos e desvios da política deve ser de independência, e exercer seu papel de “voz profética” contra as mazelas, de acordo com o pastor Augustus Nicodemus.

Durante uma pregação na Primeira Igreja Presbiteriana de Recife, Nicodemus usou a mensagem baseada no livro de Amós para enfatizar que o papel da Igreja é se levantar contra a opressão, seja de partidos de esquerda ou de direita.

“Deus se ofende de verdade com a opressão dos pobres”, afirmou o pastor. “Deus se ofende de verdade é com a opressão do pobre, o esmagamento do necessitado, feito pelos poderosos, nobres, reis e ricos, simplesmente porque eles querem satisfazer seus desejos de prazer, luxúrias e de uma vida abastada. É contra isso que a Igreja tem que levantar a voz profética”, pontuou.

A luta contra a corrupção, em suma, só será possível à Igreja se ela se mantiver independente de qualquer partido, sem ligações com o Estado. “A Igreja não tem que se meter em política partidária. A Igreja, para ser voz profética, ela tem que ser independente de qualquer partido e denunciar isso, quer seja feito por um partido de esquerda ou de direita”, reiterou.

Ao final desse capítulo em seu sermão, Augustus Nicodemus destacou ainda que a “Igreja é a consciência do Estado”, e para cumprir esse papel não pode depender dele, mas se manter atenta para que as pessoas que ocupam cargos na estrutura de governo sejam sempre alertadas contra a prática da injustiça.

Confira o trecho do sermão em que Augustus Nicodemus exorta a Igreja a ser “voz profética”:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here