Criada para odiar judeus, ex-muçulmana se entrega a Cristo após cenas de brutalidade

0
315

O testemunho de uma ex-muçulmana impactou uma congregação judaica messiânica (judeus que acreditam em Jesus) de Sheffield, Inglaterra, na última Páscoa. Ela não teve o nome revelado por motivo de segurança, mas fez questão de gravar um vídeo contando como teve a sua vida transformada após deixar o islamismo para se entregar a Jesus Cristo.

“Eu nasci e cresci em um país muçulmano. A palavra Yehudi (judeu) foi incutida em mim como uma palavra ruim, um palavrão. O Yehudi não deveria existir… eles deveriam ser mortos. Eu nunca pensei em questionar o porquê”, disse a mulher.

Ela lembrou de um episódio em que presenciou a morte de uma mulher por decapitação, algo que seu pai lhe apresentou como uma espécie de lição religiosa, caso não seguisse corretamente os preceitos do islamismo.

“Eu estava com meu pai em uma ocasião enquanto uma multidão se reunia e fomos empurrados para a frente. Eu vi uma mulher amarrada, sentada em uma caixa”, disse ela.

“Um homem sacou uma longa espada e decapitou a mulher. Minhas pernas tremiam, meu coração batia rápido, e meu pai disse: ‘Se você não ouvir nossos ensinamentos, isso acontecerá com você um dia’”, contou.

A vida dessa ex-muçulmana também foi marcada pelas cenas de violência doméstica que presenciou. Ela disse que clamava em seu interior para Allah: “‘Por favor, ajude meu pai a parar de bater na minha mãe. Por favor, ajude meu pai a parar de me bater’. Mas nenhuma ajuda veio”, contou.

Transformação em Cristo

O gesto de amor de uma mulher cristã lhe chamou atenção durante um momento de sofrimento, após à morte da sua avó. Esse foi o início da sua transformação e o contato com algo que ela jamais havia ouvido falar de forma correta.

“Eventualmente nossa família foi para a América, e quando minha avó morreu de um ataque cardíaco, fiquei arrasada. Eu perdi minha melhor amiga. Eu estava sofrendo muito. Uma mulher chamada Paula me perguntou se eu estava bem e comecei a chorar. Ela colocou os braços em volta de mim e me deu um abraço. Então ela disse: ‘Você gostaria de ir à igreja comigo?’”, contou.

“Quando entrei nesta igreja, senti amor e aceitação dessas pessoas como nunca antes. Pela primeira vez na minha vida, ouvi uma mensagem da Bíblia. Foi sobre Yeshua (Jesus), como Ele leu no rolo do profeta Isaías:

O Espírito do Senhor está sobre mim. Ele me ungiu para pregar o evangelho aos pobres, para curar os de coração partido, dar vista aos cegos e proclamar liberdade aos cativos.’”, disse ela.

Os anos de uma educação baseada no ódio aos judeus se mostraram incoerentes com o amor de Deus em questão de horas na vida da ex-muçulmana, ao conhecer Jesus Cristo. Àquilo foi para ela uma grande libertação emocional e espiritual.

“Foi a primeira vez que ouvi palavras de liberdade e cura”, disse ela. “Eu estava cega com tanto ódio em meu coração e estava desesperada para ser libertada. Eu sabia que a decisão de deixar o Islã era grandiosa. Mas eu estava desesperada para conhecer um Deus vivo”.

“No dia em que dei minha vida para me tornar uma seguidora de Jesus, eu disse: ‘Deus, me perdoe. Eu não sabia que odiava o seu povo.’”, contou. “Eu amo o povo judeu porque é o Deus deles e o Messias que estou seguindo me disse para amá-los. Este é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, e a nação de Israel é a pulsação de Deus”.

Finalmente, a ex-muçulmana disse que até sobre o holocausto ela não conhecia nada, mas agora compartilha isso com outras pessoas, fazendo da sua vida um testemunho vivo da graça de Deus, segundo informações do Israel Today.

“Eu nunca tinha ouvido falar do Holocausto e agora me encontro com sobreviventes do Holocausto. Eu ouço suas histórias e compartilho as minhas com eles, dizendo: ‘seu Messias mudou meu coração; ele me resgatou e trouxe alegria em minha vida novamente. Eu sou uma mulher abençoada’”, conclui. Veja o vídeo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here