Arte, a mãe das desculpas por Edmilson Ferreira Mendes

download

O Santander Cultural, em Porto Alegre, investiu quase um milhão de reais, usando os benefícios fiscais da lei Rouanet, numa exposição que faz apologia declarada a zoofilia, pedofilia e pornografia, além de afrontar e debochar de personagens e símbolos religiosos de alguns segmentos da fé cristã. Crianças já visitaram a exposição, tanto acompanhada de seus

Santander cancela exposição e pede desculpas por apologia à pedofilia; Responsáveis serão convocados por CPI

BIA-LEITE-1-1024x1007

O Banco Santander recuou diante da enorme repercussão em desaprovação à exposição “Queermuseu”, cancelou o evento e emitiu um comunicado com pedido de desculpas às ofensas que a mostra trazia ao senso de moral do público e também a símbolos religiosos cristãos. A exposição “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira” tinha o apoio

Valdemiro Santiago e Joesley Batista negociam canal de TV para a Igreja Mundial por R$ 80 milhões

valdemiro-santiago-faz-acordo-assustador-com-bandido-do-joesley-batista

O líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, Valdemiro Santiago, estaria negociando a compra da emissora de televisão do empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F e bola da vez na Operação Lava-Jato. A negociação para a compra do Canal Rural vem se estendendo nas últimas semanas, como consequência das perdas financeiras

Silas Malafaia chama de “otário” quem apoia proposta de cobrança de impostos sobre igrejas

1635153

Uma proposta de cobrança de impostos sobre igrejas e templos de qualquer religião foi feita no portal do Senado e alcançou o mínimo de apoiadores para ser discutida pelos parlamentares. O pastor Silas Malafaia participou de uma audiência pública para discutir o assunto e classificou como “otários” os que defendem essa medida. A audiência contou

Pastor Abílio Santana é processado após pregar contra “Bíblia Gay”

VIGILIA3

Depois de divulgar um vídeo nas redes sociais criticando a “Bíblia Comentada Graça Sobre Graça”, popularmente tratada como “bíblia gay”, o pastor Abílio Santana foi processado por crimes de calúnia, injúria e difamação junto à 5ª Vara Criminal do Estado da Bahia. O processo foi movido pelos autores do livro, o casal de pastores homossexuais