Sobrinho de Benny Hinn diz como refutar pregadores da teologia da prosperidade iguais a seu tio

0
334

A teologia da prosperidade é “condenatória e abusiva”. Esse resumo foi feito pelo pastor Costi Hinn, sobrinho do famoso televangelista Benny Hinn, um dos principais pregadores dessa mensagem embasada apenas em saúde e riqueza.

Ele participou de um podcast da versão norte-americana do movimento Coalizão pelo Evangelho e apontou formas que podem ser usadas para combater a teologia da prosperidade e pregadores como seu tio.

Costi, que rejeitou o ensino de seu “tio Benny” depois de trabalhar ao lado dele por anos, disse que dois resultados naturais dessa mensagem de prosperidade – que ensina que Deus recompensa quem oferta mais com mais saúde e riqueza – são falsas esperanças e medos.

“Falsas esperanças e medo são provavelmente os dois maiores produtos. Você pegou a parte da falsa esperança, todos nós entendemos que se trata da teologia da prosperidade, mas a outra, o medo de Deus ou o medo, sabe, mesmo que eu esteja esperando o meu milagre, eu permaneço sob o guarda-chuva ungido e a proteção deste homem ou mulher de Deus ungido, submetendo-me a eles e dando meu dinheiro”, resumiu.

O pastor, que agora se dedica ao ministério For The Gospel, que fundou após se afastar de Benny Hinn, contou como se tornou relevante no esquema mantido por sua família no livro God, Greed, and the (Prosperity) Gospel: How Truth Overwhelms a Life Built on Lies(“Deus, ganância e a teologia (prosperidade): Como a verdade subjuga uma vida construída sobre mentiras”, em tradução livre).

Comparando a teologia da prosperidade a um esquema de pirâmide, Costi diz que “de qualquer forma, se você está apenas querendo um milagre, ou você está apenas querendo ficar protegido enquanto espera pelo seu milagre, você tem que pagar para jogar”.

Enquanto milhões de pessoas “ignorantes” são “enganadas” pela teologia da “saúde e riqueza” apresentada por homens como seu tio, outras se apegam ansiosamente à mensagem do conforto porque é “confortável”, acrescentou Costi Hinn.

“Uma mensagem que diz: ‘Vou ser abençoado, e meus filhos não terão câncer e ninguém ficará doente’. Quero dizer, isso é algo que toda pessoa quer, naturalmente buscamos conforto. Não queremos dor”, ponderou o pastor, destacando que há várias maneiras pelas quais os cristãos podem convencer as pessoas a confiarem no verdadeiro Evangelho, começando com a construção de “relacionamentos com pessoas envolvidas nessas coisas”.

“Não fique na sagrada reunião”, aconselhou Costi Hinn. “Eu não estou pisando na separação bíblica onde estamos no mundo, mas não somos daqui. Não estou dizendo para ir e frequentar uma igreja da teologia da prosperidade, porque se infiltrar nisso não é sábio. Fique na margem, mantenha-se em solo seguro e jogue a corda para aqueles que estão na correnteza passando por cima da cachoeira. Fique seguro, entenda o Evangelho, arme-se com a verdade e depois jogue a corda do resgate para os outros”.

“Eu diria que essa é uma das melhores maneiras. Portanto, se você não tem certeza de como articular o Evangelho, se você não tem conhecimento dessas questões, eu diria, primeiro se arme com a verdade para que, ao estabelecer relacionamentos com as pessoas e andar com elas, você possa ser uma ferramenta útil na mão de nosso Deus”, sugeriu.

Embora os falsos profetas possam parecer intimidadores, Costi Hinn enfatizou: “Nunca subestime Romanos 1:16-17 […] Confie em Seu poder e não tenha vergonha, Deus operará de maneiras notáveis”, garantiu o pastor.

Um dos pregadores da teologia da prosperidade mais conhecidos em todo o mundo, Benny Hinn é frequentemente acusado de ser uma fraude e criticado por viver de maneira extravagante, liderando um ministério que arrecada mais de US$ 100 milhões anualmente.

Longe demais

No ano passado, logo após o falecimento do evangelista Billy Graham, Benny Hinn ocupou as manchetes depois de confessar que pode ter levado longe demais sua mensagem de “saúde e riqueza”.

“Somos atacados por pregar a prosperidade. Bem, está na Bíblia. Mas acho que alguns foram ao extremo com isso tristemente, e não é a Palavra de Deus o que é ensinado, e acho que sou tão culpado quanto os outros. Às vezes você vai um pouco mais longe do que você realmente precisa e depois Deus o leva de volta à normalidade e à realidade”, disse Benny Hinn, num raro momento de autocrítica.

“Todos queremos terminar bem”, disse Benny Hinn sobre os pastores. “Todos nós começamos bem. Às vezes, você sabe, tropeçamos aqui e tropeçamos ali. Mas quando você se dedica a isso, todos queremos terminar bem. Tenho 65 anos, certamente não quero estragar tudo neste momento da minha vida e agradeço por orar por mim. Eu realmente quero dizer isso”, acrescentou, na ocasião.

Enquanto a teologia da prosperidade continua tendo sucesso em certas partes do mundo, Costi Hinn disse à Coalizão pelo Evangelho que as igrejas “otimistas” que divulgam essas visões em breve entrarão em colapso. “Sou grato e sou apenas parte disso”, disse ele.

Ainda assim, ele advertiu aqueles que tentavam pregar o Evangelho inteiro a esperar resistência daqueles que ganharam milhões apresentando uma versão de “saúde e riqueza” do cristianismo para as massas. “Vamos ficar atentos não apenas ao remorso, mas ao arrependimento”, disse ele. ”Sim, procure, você sabe, as marés que virão pela graça de Deus. Mas também, não sejamos rápidos em desfilar quando algumas pessoas dizem: ‘Ei, podemos ter ido longe demais’”, alertou.

“Vamos esperar e jogar o desfile quando houver um grande avivamento e as pessoas estiverem … suas vidas inteiras estiverem viradas de cabeça para baixo. E tenhamos cuidado para não rotular remorso como arrependimento e depois confiar que Deus fará seu trabalho”, finalizou, de acordo com informações do portal The Christian Post.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here