Feliciano e Malafaia repudiam “preconceito” de colunista da Globo contra evangélicos

0
47

As rusgas entre evangélicos e os veículos de imprensa do Grupo Globo têm aumentado por conta da postura de muitos dos colaboradores do conglomerado de mídia. Recentemente, uma nota publicada pela revista Época levou os pastores Marco Feliciano (PODE-SP) e Silas Malafaia a reagirem contra o “preconceito” implícito no texto.

O imbróglio envolve o jornalista Guilherme Amado, colunista da revista. Ele publicou uma nota sobre uma cerimônia realizada por um pastor no Rio Jordão, em Israel, e a participação de um funcionário do governo Bolsonaro que é judeu. 

“Fábio Wajngarten, o secretário da Secom, postou há pouco uma foto sendo abençoado no Rio Jordão por um pastor evangélico. ‘A fé inteligente transborda religiões’, escreveu. A foto repete a mesma que seu chefe, o católico Jair Bolsonaro, fez anos atrás, também em Israel”, escreveu Guilherme Amado.

O secretário Especial de Comunicação Social (SECOM) compareceu ao evento em Israel a convite da Record TV. Logo após a publicação da nota, que destacava o fato e Wajngarten ser judeu, o pastor Marco Feliciano reagiu no Twitter, apontando “preconceito” contra os evangélicos.

“O grupo Globo se supera a cada dia no quesito preconceito contra cristãos, principalmente os evangélicos. Tomei conhecimento que meu amigo Fábio Wajngarten virou alvo de uma notícia sensacionalista e preconceituosa que parte do jornalista Guilherme Amado da Revista Época. Sempre atendo o jornalista da Revista Época com respeito, e ler sua matéria me causou náuseas. No título, ele cita a etnia do Fábio Wajngarten e que ele foi alvo da oração de um pastor. Tudo isso para dizer que o rapaz judeu que foi abençoado, trabalha no governo de Jair Bolsonaro”, escreveu Feliciano.

“Deixo aqui meu repúdio à matéria preconceituosa da Revista Época, a quem peço respeito tanto aos judeus quanto aos pastores e principalmente a pessoa do Fábio Wajngarten, a quem dedico minha solidariedade. Nunca vi falarem da religião dos antigos governantes do Brasil. Por que será?”, questionou o pastor.

Silas Malafaia engrossou o coro das críticas: “Jornalista preconceituoso da revista Época. O jornalista Guilherme Amado querendo colocar em saia justa o secretário da SECOM, Fabio Wajngarten , que é judeu , recebendo oração de um pastor no rio Jordão . Será que é por causa do corte de verba do governo ao grupo Globo?”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here