Helena Tannure: “A gente está cheio de opiniões, mas vazio de conhecimento bíblico”

0
65

“Se alguém acrescentar alguma coisa a essa Palavra que está aqui [Bíblia], que seja anátema. Se vier um anjo do céu e trouxer um evangelho diferente, que seja anátema”. A passagem de Gálatas 1:8 foi citada por Helena Tannure durante uma de suas pregações para ressaltar a importância de o cristão ter conhecimento bíblico para embasar seus atos, suas opiniões e também para tomar suas decisões pautadas na vontade de Deus.

cantora e palestrante alertou que o conhecimento da Palavra é necessário justamente para fortalecer a mente e protegê-la de maus pensamentos.

“Tem aqueles pensamentos que são sugestões do adversário. Ele percebe que você sofreu um golpe, está em um momento frágil da sua vida, então ele começa a sugerir. De onde vem a ideia ‘eu quero morrer’ ou ‘minha vida podia acabar aqui, agora’? Vocês acham que essa ideia vem do trono de Deus? Vocês acham que o suicídio é uma porta que Deus abre?”, destacou.

“Todos nós estamos vulneráveis a termos maus pensamentos, a sofrermos ataques na nossa mente, a não vigiarmos, mas se você enche a sua mente com a Palavra de Deus, é o que o apóstolo Paulo estava falando lá em Romanos: ‘Não vos conformeis com este século”, acrescentou.

Tannure citou a carta de Paulo aos Romanos, lembrando as palavras do apóstolo sobre a postura “inconformada” do Cristão.

“Mas esse não se conformar não é daquele tipo ‘estou indignado! Não aceito essa novela’, mas não desliga. ‘Olha que absurdo, olha que afronta’, mas você está lá, todo dia, comendo daquela comidinha do diabo, nutrindo a sua mente com maldade, com a perversão. Aí você acha que isso vai produzir esperança no seu coração?”, ressaltou.

A preletora explicou que a inconformidade é importante, mas ela precisa ser acompanhada de conhecimento bíblico.

“Hoje a gente tem tanto acesso a informação. Nós estamos sobrecarregados. O Augusto Cury está chamando isso de ‘síndrome do pensamento acelerado’. Nós estamos recebendo muito mais informações do que conseguimos absorver e 80% dessas informações são destrutivas”, destacou.

“O problema não é a tecnologia e sim como a gente usa a tecnologia. O problema não é a faca. Com ela você pode cortar couve e também pode tirar a vida de alguém. O problema é como você usa e a gente não usa bem, a gente usa para fofoca, usa para mimimi. ‘A minha opinião é…’, não interessa a sua opinião, mas sim o que a Bíblia diz. A gente está cheio de opinião, mas vazio de conhecimento bíblico”, frisou. “Quando o apóstolo Paulo fala de não se conformar, ele se refere a não entrarmos na forma”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here