Pastor é proibido de orar com jogadores após vídeo viralizar na internet; Assista

0
61

O Pastor Russell Davis é considerado um homem de muito caráter. Ele comandava o time de futebol da Escola Municipal Dawson County, nos Estados Unidos, como treinador voluntário, mas após um vídeo onde aparece fazendo uma oração com os jogadores viralizar na internet, ele foi acusado por um grupo de ateus de violar a liberdade religiosa dos alunos, ficando proibido de orar novamente com a equipe.

“A Palavra diz que quando eles saíram eles O compeliram a carregar a cruz, e então Jesus foi para o monte e Ele ganhou a vitória na cruz“, diz o pastor no vídeo, fazendo um paralelo da determinação de Cristo com a atitude dos alunos do Falcons diante dos desafios.

“Seu objetivo esta noite não é morrer na cruz. Não é morrer no campo de batalha. Estamos chamando você hoje à noite para carregar sua cruz”, acrescenta Davis.

O vídeo ultrapassou a marca das 73 mil visualizações e chamou atenção da organização Freedom From Religion Foundation (FFRF), que defende a total separação da religião no ensino. O advogado da entidade, Christopher Line, enviou uma carta ao procurador escolar da região, Philip Hartley, afirmando que o pastor Davis violou a Constituição Americana.

A resposta do procurador foi contrária ao pastor. “O distrito está comprometido em cumprir os princípios estabelecidos na Primeira Emenda, incluindo a Cláusula de Estabelecimento, enquanto protege os direitos dos estudantes de exercerem seus direitos de liberdade religiosa de acordo com a Constituição“, escreveu Hartley.

O argumento apresentado pelo advogado da FFRF é que os alunos teriam sido coagidos a participar da oração. Entretanto, não houve da parte do pastor Davis qualquer tentativa de coação. Pelo contrário, os alunos participaram voluntariamente, expressando cada um a sua própria fé.

Hartley, entretanto, deixa explícito na carta que a iniciativa para orações pode partir dos alunos, sem a influência do treinador:

“O Superintendente falou com indivíduos e funcionários apropriados e está confiante de que qualquer oração em um ambiente escolar que envolva estudantes será voluntária, iniciada por estudantes e dirigida por estudantes, a fim de proteger os direitos de todos os estudantes no distrito para o pessoal, bem como voluntários”.

Dessa forma, Davis, que é pastor da Etowah Church em Dawsonville, ficou impedido de iniciar orações com seus alunos, mesmo tendo plena aceitação da equipe.”Acreditamos que nossos treinadores têm uma compreensão dessas diretrizes e as cumprirão”, disse o superintendente Damon Gibbs, segundo informações do Christian Post.

Assista o vídeo abaixo:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here