Ministro de louvor morre após ser baleado por engano por policial

0
77

Um ministro de louvor foi morto por uma policial de folga após ela entrar em seu apartamento por engano e confundi-lo com um assaltante. Botham Shem Jean, 26 anos, e dava aulas sobre a Bíblia numa igreja em Dallas, no Texas (EUA).

“Eu nunca ouvi minha mãe chorar assim”, disse Brandt Jean, de 17 anos, em entrevista à CNN, logo após saber que seu irmão mais velho havia falecido após ser alvejado pela policial Amber Guyger, 30 anos, que morava no mesmo prédio.

A tragédia aconteceu após a policial Amber cumprir um turno de 15 horas e chegar em casa. Ela confundiu o andar em que mora com o andar onde Botham vivia, no condomínio South Side Flats. Ela desceu no quarto andar, mas seu apartamento é no terceiro.

Segundo informações do portal The Christian Post, os quatro andares do condomínio South Side Flats têm a mesma aparência com pisos de concreto e portas bege, mas uma luz em cada porta exibe o número do apartamento. Ela foi até a porta de Botham, que ela achou que era dela, sem notar que o apartamento do ministro de louvor tinha um capacho vermelho e o dela, não.

Um funcionário do condomínio declarou ao telejornal The Dallas Morning News que, quando Guyger colocou a chave na fechadura, ela estava destrancada e a porta se abriu. As luzes estavam apagadas e ela viu uma figura na escuridão e pensou que seu apartamento estava sendo roubado. Ela puxou a arma e disparou duas vezes, atingindo Botham uma vez no peito. Ela só percebeu que estava no apartamento errado depois de acender as luzes.

Um vídeo gravado por moradores de um andar abaixo mostra a policial em seu telefone, andando de um lado para outro do lado de fora do apartamento e chorando após o tiroteio. Paramédicos também são mostrados movendo um homem em uma maca e realizando massagem cardíaca nele.

Ela foi presa no domingo por acusação de homicídio culposo (quando não há intenção de matar), disse um Texas Rangers à CNN, mas foi libertada da prisão do condado de Kaufman na noite de domingo, depois de ter publicado uma fiança de US$ 300 mil.

Família

A família de Botham é da ilha caribenha de Santa Lúcia. Sua mãe, Allison Jean, é uma ex-funcionária do governo de Santa Lúcia que estava visitando Nova York no dia que o filho morreu.

“Eu não podia acreditar quando recebemos a ligação. Parece um pesadelo. Eu gostaria de poder acordar. Ele impactou a vida de muitos. Estou recebendo ligações de todo o mundo”, afirmou a mãe de Botham, Allison Jean, à emissora NBCDFW, enfatizando que está indignada com a explicação da morte de seu filho.

“Eu não quero julgá-la. Somos cristãos. Nós perdoamos. Mas eu preciso olhar nos olhos dela e perguntar por que ela fez isso com meu filho. Ela tirou meu coração. Minha alma. Ele não merecia morrer. A explicação não faz sentido”, acrescentou a mãe enlutada.

Ela também se perguntou se a raça de seu filho poderia ter desempenhado um papel no porquê ele foi morto. “Eu não sabia que ela era branca até agora. Se fosse um homem branco teria sido diferente? Ela teria reagido de forma diferente?”, questionou a mãe.

Quando ela ligou para casa para revelar a tragédia, foi seu filho mais novo, Brandt, que pegou o telefone. Ela pediu para falar com seu pai sozinho e foi quando Brandt ouviu sua mãe chorar nunca tinha ouvido antes. “Eu ainda não acredito que ele tenha ido, mas temos que aceitar. Ele foi realmente inspirador. Ele tinha uma mente e uma vibração positivas”, comentou.

Botham formou-se em 2016 com uma licenciatura em contabilidade e gestão de sistemas de informação da Harding University , uma escola cristã privada em Searcy, Arkansas. Autoridades da universidade disseram em um comunicado que Botham frequentemente liderava o culto em eventos da capela e do campus.

“Na Lectureship, um ano, pedi a ele que liderasse o canto certa noite. Por causa do assunto, havia um hino antigo que eu perguntei se ele se importaria em liderar”, lembrou o presidente da escola, Bruce McLarty. “Ele não disse nada sobre não conhecer a música, mas nunca a tinha visto antes em sua vida. Ele apareceu naquela noite e estava apenas sorrindo e empolgado para liderá-la. Ele me disse que nunca tinha ouvido a música antes, mas naquele dia, ele ligou de volta para Santa Lúcia e pediu a sua avó para lhe ensinar aquele velho hino no telefone. Então ele compartilhou conosco no Lectureship naquela noite, e foi um momento verdadeiramente especial”, relembrou.

A publicação do estudante da escola disse que ele era um membro do grupo Acapella Good News Singers, do Harding University Rugby Athletic Club. “Botham era um líder espiritual na Sub T-16. Ele era muito apaixonado por seus relacionamentos e amizades. Ele era um ótimo aluno”, disse Steve Lake, vice-presidente assistente de desenvolvimento e patrocinador da Sub T-16 à publicação.

“Pessoas que o conheceram, ele tocou suas vidas… ele abraçou a vida completamente, ele buscou excelência. Para aqueles que o conheceram, eles estão com o coração partido hoje”, acrescentou Lake.

Uma vigília à luz de velas foi realizada em sua homenagem na noite de segunda-feira, 10 de setembro. Antes de falecer, Botham estava trabalhando na empresa de auditoria e consultoria PriceWaterHouseCoopers em Dallas, onde ele foi recentemente contratado após um estágio na empresa, disse sua família à CNN. A empresa – que tem filial no Brasil – disse que também ficou “de coração partido” por sua morte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here