Mulher escapa da morte por erro médico em cirurgia e tem experiência profunda com Deus

0
95

A cirurgia bariátrica de Daniela Benita foi muito além do que ela imaginava. Sua intenção era simplesmente emagrecer, porque achava que assim estaria feliz. Em sua concepção, felicidade estava associada ao peso corporal, mas um erro médico durante o procedimento cirúrgico terminou proporcionando para ela uma relação com Deus que jamais havia tido em sua vida.

“A família do meu pai inteira sofre de obesidade mórbida. Eu sempre fui gordinha e em 2007 comecei a trabalhar em uma empresa. Fui indicada para fazer redução do estômago. Eu estava com 123 quilos. Procurei um médico, fiz os exames e no dia 10 de setembro eu operei”, disse ela.

Benita explica que por conta da sua baixa-estima, ela se isolava das pessoas. Tinha vergonha do próprio corpo, depositando toda sua expectativa da cirurgia de redução de estômago. “Eu achava que isso era necessário para ser feliz, eu tinha esse peso e cobrança e ficava dentro do quarto, quieta, não saía. Na minha visão, a pessoa magra tinha uma outra visão das coisas”, disse.

Benita contou o seu testemunho no programa Prova Viva, da Rede Super, dizendo que após concluir a cirurgia, ao se alimentar no outro dia sentiu um liquido escorrer em seu estômago. O seu intestino havia sido perfurado durante o procedimento.

“Eu passei mal no corredor do hospital e fui informada pelo médico que ia ter que voltar para o bloco cirúrgico. Ele não explicou porque eu voltei para o bloco e quando eu acordei eu perguntei para ele: ‘Acabou a cirurgia agora?’ Fiquei assustada com a reação dos enfermeiros. Havia 20 dias que eu estava na CTI do hospital desacordada, entubada e desenganada pelos médicos”, disse ela.

Ela tinha ficado em coma por 20 dias, entre a vida e a morte. Acordada, ela precisou utilizar uma bolsa coletora de fezes, conhecida como bolsa de colostomia. “Eu tive que aprender a me movimentar e andar, porque eu fiquei muito tempo paralisada em cima da cama. Passei 45 dias no hospital. Quando saí, eu fedia em vida. Fui para casa com cheiro de infecção”, conta.

Intimidade com Deus

O prejuízo físico e o trauma emocional da cirurgia poderiam ter devastado ainda mais Daniela Benita, mas na verdade ocorreu o contrário disso. Ela tinha uma vida religiosa, indo para a igreja e mantendo a sua rotina, mas ainda não havia compreendido o que é vida espiritual com Deus.

“Ele [Deus] colocou uma médica amiga da minha irmã e ela cuidava muito bem de mim. O que Deus fez foi para mostrar o poder Dele. Eu andava com bolsinha coletora e tudo saia por ela, porque furou o meu estômago”, disse ela.

“Eu achava que por ir à igreja, por está ali presente eu tinha Deus. Mas ter Deus é muito mais que isso. Agora eu tenho Deus. Eu tenho relacionamento com Deus”, acrescenta ela, destacando que agora entende a importância de viver sob a dependência do Senhor, colocando sobre suas mãos suas decisões e confiando no melhor para sua vida.

“A minha vida está de acordo com a vontade Dele. Agora tudo que eu faço eu consagro a Deus. Antes eu fazia as coisas e depois dizia que era a vontade de Deus. Agora qualquer decisão que eu tomo, primeiro procure saber de Deus se a vontade Dele para a minha vida”, conclui.

Assista o testemunho completo abaixo:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here