Jean Wyllys diz que facada em Bolsonaro é fruto da escalada de ódio; ‘Cala boca!’, reage Malafaia

0
153

Jean Wyllys (PSOL-RJ), autor de uma cusparada contra Jair Bolsonaro (PSL-RJ) durante a sessão do impeachment de Dilma Rousseff (PT) na Câmara dos Deputados, fez uma publicação repudiando o atentado à facada contra a vida do candidato à presidência. O pastor Silas Malafaia, no entanto, reagiu às declarações por enxergar incoerência.

Em sua página oficial no Facebook, Jean Wyllys afirmou que reprovava a atitude do militante de esquerda ex-filiado ao PSOL, e se inseriu no contexto como vítima de agressões verbais que sofre por conta de suas posições.

“Quero expressar meu absoluto repúdio contra o ato de violência sofrido pelo candidato Jair Bolsonaro, da mesma maneira que sempre repudiei todas as formas de incitação ao ódio e à violência política que o próprio Bolsonaro faz. Eu recebo todos os dias insultos, ameaças de morte e ataques dos seguidores desse homem, que recentemente falou em ‘metralhar’ ‘petralhas’ (leia-se petistas!), e tenho alertado insistentemente sobre o perigo dessa escalada de ódio. Os tiros contra a caravana de Lula, o assassinato de Marielle e Anderson e as ameaças contra parlamentares e ativistas sociais fazem parte de um contexto perverso e cada dia mais perigoso para a democracia. Chega de violência, seja contra quem for!”, publicou Wyllys.

Em reação, Silas Malafaia – ferrenho adversário do deputado federal ativista LGBT – fez uma publicação chamando-o de incoerente: “JEAN WYLLYS! Cala a boca! Pare de falar asneira. Você é autor de um projeto onde um garoto de 12 anos, pode mudar de sexo sem o consentimento dos pais. Só que você é contra que um marmanjo de 17 anos, criminoso, responda por seus crimes. INCOERENTE! CALA A BOCA!”.

“A PIADA DO SÉCULO ! A CULPA É DE BOLSONARO! Agora a culpa do atentado é da vítima q incitou a violência. É a mesma coisa que afirmar que a vítima do estupro é culpada porque estava de saia justa.Muito pelo contrário, Bolsonaro quer dar um fim à violência que domina o Brasil”, acrescentou o pastor.

Perseguição

Mais cedo, Malafaia havia publicado um vídeo em seu canal no YouTube destacando a gravidade da situação: “O atentado contra a vida de Bolsonaro emite alguns sinais. Quase toda imprensa brasileira é contra esse cara. É notícia para denegrir, para bater, só tentam ver algum lado ruim pra tentar arrebentar o cara. Todos esses esquerdopatas odeiam esse camarada”, afirmou o pastor.

“Os políticos, que estão aí no domínio do poder, odeiam esse cara. Se faltava algum sinal para que o povo brasileiro entenda e veja que se está todo mundo contra – o cara tem uma vida limpa, não tem nada contra a vida desse camarada. Não há nada, vida limpa, não tem nada de corrupção – um cara que ama o país, e agora, o camarada que cometeu o atentado contra ele, é um esquerdopata”, acrescentou Malafaia.

Oração

“Eu quero dizer para vocês: olha, esse é um sinal que Bolsonaro deve ser o próximo presidente do Brasil. É 17 neles. Essa é que é a verdade. Agora, eu quero chamar aqui a atenção dos meus irmãos em Cristo, que creem no que eu creio: a oração da Igreja é uma coisa muito poderosa. A paz social vem pela nossa oração […] Vamos orar pelo Brasil. Nesse 7 de setembro, vamos levantar um clamor pela nossa nação para Deus mudar os rumos desse país, livrar esse país do caos, da desgraça social, e da falta de paz”, afirmou o pastor.

Há aproximadamente uma semana, o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) havia feito um convite para que as dezenas de milhões de evangélicos brasileiros orem para que Deus restaure a paz na nação brasileira e inspire os fiéis a votarem em candidatos que não aderirão a propostas que vão contra princípios e valores éticos, de proteção à família e liberdades de expressão, religiosa e política.

“Vamos orar. Que tal? Eu não tenho autoridade para convocar ninguém. Apenas uma sugestão a pastores e ao povo. Que tal, no último domingo de setembro, um domingo antes da eleição, toda a Igreja evangélica brasileira fazer um jejum, pelo menos até meio-dia? De meia-noite até meio-dia. Intercedendo pelo Brasil, pedindo a Deus para abrir os olhos do povo, para não ser enganado pelo espírito de mentira, uma potestade de demônios, de engano, [para] o povo ter a mente aberta e ver a situação e votar em pessoas certas. Vamos orar!”, sugeriu na ocasião.

“Eu quero declarar que o Brasil é do Senhor Jesus. Deus abençoe você, Deus abençoe sua família, Deus abençoe o Brasil”, finalizou o pastor, no vídeo publicado na última quinta-feira, 06 de setembro, após o atentado.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here