Nigeriana abriga mais de 50 órfãos para ensiná-los sobre a paternidade de Deus

0
147

Chamada por todos como “mamãe”, uma mulher cristã está ensinando sobre a paternidade de Deus de mais de 50 crianças em sua casa na Nigéria, em meio à crise de órfãos provocada pela onda de violência no “cinturão intermediário” do país.

De acordo com a organização International Christian Concern (ICC, na sigla em inglês), mamãe começou recebendo crianças há seis anos na comunidade onde vive. Quando vizinhos ouviram falar sobre seus cuidados, o número de órfãos começou a crescer em sua casa.

Até o momento, ela cuida de 54 crianças entre 3 e 14 anos de idade, informou o gerente regional da ICC, Nathan Johnson, em entrevista ao site Christian News Network.

Mais da metade das crianças que moram na casa da mamãe ficaram órfãs devido aos ataques dos muçulmanos Fulani, um grupo étnico que costuma atacar os cristãos e devasta as aldeias nigerianas.

“Você pode ver o amor verdadeiro que ela está inspirando neles para Jesus”, disse Johnson, observando que as crianças estavam felizes apesar do trauma de ter perdido sua família.

“No tempo em que passei lá, oramos por cerca de 30 minutos pela situação geral na Nigéria, pelas crianças, pelo orfanato, pela mamãe e sua equipe. As crianças realmente se concentraram e derramam seus corações para Cristo — algo que você não vê com frequência em crianças de cinco e seis anos durante uma longa sessão de oração”, explicou Johnson. “Foi incrível ver o amor deles por Cristo”.

Embora os quartos sejam pequenos e os órfãos tenham que compartilhar as beliches, as crianças não têm reclamações. Mamãe gostaria de ter uma instalação separada, para que possa receber mais órfãos.

“Esteja em oração pela Nigéria”, pede Johnson. “Acredito que a crise dos Fulani e a violência no cinturão intermediário são um dos maiores problemas na Nigéria, até mesmo um dos maiores problemas do mundo atualmente. Milhares de pessoas são mortas anualmente e dezenas de milhares são deslocadas de suas casas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here