Ativistas LGBT agridem cristãos aos gritos de “Deus é gay”

Suitsupply_attack

A marca de roupas masculinas Suitsupply, da Holanda, lançou uma  campanha publicitária seguindo a ‘tendência’ do mercado europeu, usando imagens sexualmente explícita.

A multiplicação dos outdoors com casais homossexuais seminus e simulando relações sexuais irritou muitas famílias conservadoras. Mais de 5.000 desses anúncios foram espalhados na Holanda.

Na tentativa de demonstrar sua contrariedade, 10 homens da organização cristã Stichting Civitas Christiana (SCC) decidiu realizar um protesto pacífico na cidade de Nijmegen. Todos usavam ternos e distribuíam folhetos com um manifesto pró-família (Família em Perigo! Casamento de Deus = 1 homem + 1 mulher) e mensagens evangelísticas.

Um grupo com aproximadamente 100 ativistas LGBT, incluindo membros da organização Antifa, decidiram fazer um violento contraprotesto.

Em um primeiro momento, apenas gritavam palavras de ordem, dizendo que eles eram “intolerantes” e “homofóbicos”. Contudo, logo começaram as agressões e a polícia foi chamada.

Vários ativistas LGBT começaram a tentar esfregar glitter no rosto dos manifestantes cristãos.  Passaram a gritar palavras de ordem como “Discurso do ódio não é liberdade de expressão”, mas logo apelaram para ofensas explícitas como “God is gay” [Deus é gay] e “Hail, Satan” [Viva Satã].

Lucas Zoonen, membro da SCC, lamentou que na Holanda, um país que fala tanto em diversidade, os cristãos são censurados dessa forma. Ele reclamou que os LGBTs jogaram água, rasgaram seus panfletos e os chamavam de “fascistas” sem se dar conta que a atitude deles de censura violenta a quem pensa diferente é que caracteriza o fascismo.

“Eles são hipócritas porque estavam pregando que nós deveríamos ser tolerantes com eles, mas foram muito agressivos”, disse August Weber, outro estudante e membro da SCC.

Duas pessoas do mesmo sexo começaram a se beijar na frente dos manifestantes, na tentativa de ofender os conservadores.

Quando um dos jovens cristãos tentou debater com os ativistas e disse que estavam apenas defendendo a “família tradicional”, recebeu uma cusparada no rosto como resposta.

Weber lamentou o ocorrido, mas disse que isso não irá impedir a SCC de continuar se manifestando. “Acho que precisamos de mais pessoas se posicionando contra a intolerância que parte dos LGBT. Essas imagens [da SuitSupply] estão nas ruas e somos confrontados com elas todos os dias”, explicou.

As imagens das agressões estão circulando na internet holandesa. Segundo o site Church Militant a Suitsupply perdeu mais de 12.000 seguidores no Instagram desde que sua campanha homoerótica começou. Com informações LifeSite News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *