Professora é acusada de terrorismo por dizer “Deus te ama” a estudante lésbica

0
56

Uma professora cristã foi demitida por uma academia de aprendizagem financiada pelo governo britânico, por responder às perguntas dos alunos sobre suas crenças ligadas à homossexualidade.

Com mais de 17 anos de experiência, a professora Svetlana Powell foi dispensada pela Academia de Aprendizagem t2 em Bristol, na Inglaterra, em julho de 2016. Ela também foi relatada como uma “ameaça de radicalização” ao Prevent, o principal programa antiterrorismo do Reino Unido.

Em resposta a pergunta de uma estudante de 17 anos, Powell disse que acredita pessoalmente que a homossexualidade é contra a vontade de Deus, mas que Ele ama todas as pessoas, independentemente do que fazem ou são.

Quando disseram que uma das alunas era lésbica, Powell se voltou para ela e disse: “Deus ama você”. Dois dias depois, a gerente de recursos humanos da t2, Stacy Preston, disse à professora que ela seria demitida por “falta grave”.

“Fiquei surpresa quando meu contrato foi rescindido. Eu estava contando a eles sobre o amor de Deus e o amor um pelo outro. Para eles chegarem ao ponto de comparar minhas visões cristãs aos atos terroristas, é absolutamente terrível”, comentou Powell.

A diretora de proteção da t2, Sian Prigg, alegou ao Tribunal do Trabalho que relatou o incidente ao Prevent depois que um grupo de estudantes se queixou de sofrer “lavagem cerebral” e serem alvo de uma “pregação”,

Powell só soube que foi relatada como uma “ameaça à radicalização” quando apresentou uma reivindicação legal contra a t2 e leu o depoimento de Prigg para o Tribunal.

“Eles sabiam que eu era cristã e ficaram interessados ​​em minhas opiniões como cristã porque eram diferentes de outros professores, minhas respostas eram muito diferentes do que eles sabem”, comenta Powell.

“Somos todos pecadores e Deus ama a todos. Deus abriu o caminho para sermos perdoados por seu filho Jesus Cristo. E eu disse àquela menina que Deus a ama”, acrescenta a professora.

O juiz do Tribunal do Trabalho do Reino Unido decidiu que a Academia t2 não discriminou a professora Powell por causa de suas crenças religiosas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here