“Não confunda direitos humanos com defesa de bandido”, alerta Ezequiel Teixeira

0
146

Na noite desta terça-feira (06), foi instalada na Câmara dos Deputados a Comissão Externa que irá acompanhar a execução e os desdobramentos da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro.

Membro titular da Comissão, o deputado federal Ezequiel Teixeira (Podemos/RJ) disse no Plenário da Câmara que está atento aos anseios dos moradores da cidade: “A população pede não somente urgência, mas eficiência nas ações. Considero bendita essa intervenção, apesar de branda, mas aguardávamos muito por isso. No entanto, não podemos aceitar que seja usada como cortina de fumaça ou que continuem a enxugar gelo. É necessário inteligência para combater no foco o problema”.

Para o parlamentar, está claro que o povo do Rio de Janeiro “não aguenta mais tanta violência e tanto descaso do poder público”. Acredita que agora, com a comissão instalada será possível construir propostas para se encontrar uma solução efetiva.

“Vamos trabalhar para isso,” garante o deputado. Ele lembrou a todos que desde o início do seu mandato tem abordado no seu trabalho como deputado questões sobre a segurança pública do Rio, principalmente em relação aos altos investimentos e as vultosas quantias que foram destinadas à segurança pública do Rio de Janeiro.

“Infelizmente, o Rio de Janeiro foi cruelmente massacrado por governos corruptos que durante anos surrupiou o nosso Estado. A meu ver, a  intervenção federal foi bem-vinda, mas ainda considero que foi branda. Pra mim, deveria ter sido uma intervenção geral para tirar de uma vez por todas esse governo desgovernado e corrupto que ainda comanda o nosso Rio de Janeiro,” criticou Teixeira.

Posteriormente, durante a primeira reunião da Comissão, ele ouviu alguns parlamentares, de partidos de esquerda,  fazendo objeções ao trabalho dos militares e criticando a intervenção. Por isso, o deputado fez um protesto: “Não confunda direitos humanos com defesa de bandido”.

O deputado Ezequiel possui larga experiência nessa temática, pois além de secretário de Direitos Humanos do Governo do Rio de Janeiro, integrou a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. Sua postura, garante, é clara: “Sou a favor de direitos humanos para humanos direitos”.

Veja como foi a manifestação dele no Plenário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here