Pastor batiza mais de 48 detentos dentro da prisão, no Uruguai

2409649882-batismo-uruguai

Um presídio no Uruguai foi palco do batismo de 48 detentos, após a ação de evangelismo realizada por uma igreja evangélica no local.

O projeto de evangelismo foi iniciado pelo pastor Everaldo Alves no Complexo Carcerário Santiago Vázquez, conhecido como Comcar, situado em Montevidéu. Para a realização, o líder cristão conta com a ajuda do grupo Universal nos Presídios (UNP).

Através da dedicação dos voluntários, quarenta e oito homens entregaram suas vidas a Jesus, numa demonstração de fé e vontade de viver uma mudança. Na ocasião, foram entregues Bíblias e kits de higiene pessoal aos presentes.

O capelão Richard Green, que já viu centenas de detentos serem batizados nos Estados Unidos, acredita que a maioria dos presidiários são sinceros e dispostos a seguir uma nova vida.

“Se uma pessoa escolhe fazer isso sem a verdadeira razão, que é a decisão é entre ela e seu Criador… Francamente, eu nunca vou saber. Mas eles sabem que o resto de suas vidas pode ser afetado por isso”, disse Green.

Um dos presos batizados por Green é Christopher Moore, de 37 anos, detido por tráfico de entorpecentes e violação da condicional. Ele foi impactado pela fé cristã após se envolver com grupos de estudo da Bíblia na prisão.

“Este batismo significa começar de novo. Queimei muitas pontes lá fora e errei com um monte de pessoas. Com Jesus, eu espero ser capaz de restaurar a minha vida”, afirmou.

Moore tem uma tatuagem de uma cruz em suas costas e pretende usá-la como um lembrete simbólico de que Cristo está sempre com ele.

“Eu sei que Jesus nos perdoa os pecados, mas Ele só faz isso você se você assumir que errou e pedir perdão. Não importa quantas vezes venhamos a repetir o erro, Ele nos perdoa. Eu vou fazer o meu melhor para não me afastar novamente de Seus caminhos”, disse Moore.

Um presídio no Uruguai foi palco do batismo de 48 detentos. (Foto: Universal nos Presídios)Um presídio no Uruguai foi palco do batismo de 48 detentos. (Foto: Universal nos Presídios)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *