Pastor Lucena apoia impeachment: “Temos que quebrar grilhões”

0
70

Entre acaloradas discussões sobre a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados, a bancada evangélica decidiu posicionar-se a favor da medida depois de uma reunião bastante concorrida, e a portas fechadas, nessa semana, com o voto da maioria absoluta de seus membros.

O deputado Roberto de Lucena (PV-SP) – um dos líderes da bancada composta por 91 parlamentares – defendeu, juntamente com os deputados João Campos (PSDB-GO) – presidente da FPE – e Paulo Freire (PR-SP) a manifestação imediata da posição de bancada, respeitados os parlamentares que por consciência defendam posição diferente.

No dia anterior, a bancada Verde no Congresso Nacional também fechou questão em relação ao impeachment, posicionando-se favorável à abertura do processo, que passa por uma comissão especial e depois pelo plenário da Câmara. O relator, deputado Jovair Arantes (PTB – GO) também já ofereceu seu voto como relator da Comissão Especial de Impeachment, favoravelmente ao processo.

Roberto de Lucena, vice-líder do PV, teve papel importante também em relação a manifestação do partido.

“Entendemos que além das pedaladas fiscais, existem outros fatores, outros componentes a serem observados. E se forem observados, a agenda do impeachment torna-se muito mais urgente e grave. Esse é um instrumento legal, um dispositivo do estado democrático de direito, uma possibilidade”, afirmou.

Citando a sabedoria bíblica, Lucena destacou que um governo justo resulta em uma população satisfeita, porém a cobrança abusiva de impostos pode levar uma nação à ruína.

“Em Provérbios 29, a Bíblia nos lembra que ‘Quando o governo é justo, o país tem segurança; mas, quando o governo cobra impostos demais, a nação acaba na desgraça’. O cenário que tem se desenhado diante dos olhos do povo é desesperador com relação à carga tributária crescente”, lembrou.

Diante do cenário de corrupção que se revela a cada dia mais nas manchetes dos noticiários, o pastor citou outro capítulo de Provérbios e alertou que os corruptos não permanecerão impunes.

“O capítulo 22 também nos lembra que ‘o que oprime ao pobre para aumentar o seu lucro, ou o que dá ao rico, certamente empobrecerá”, disse.

Manifestações

Antes mesmo da nota oficial, emitida pela bancada evangélica sobre o impeachment, Roberto de Lucena já havia declarado o seu apoio ao impeachment, com a postagem de um vídeo nas mídias sociais, no qual convocou a todos os cidadãos para participarem das manifestações do dia 13 de março.

“Uma política que seja de fato voltada para o povo e seja pelo povo é o que nós precisamos”, declarou. “Nós estamos exatamente no momento de um novo movimento, em que nós precisamos definitivamente quebrar grilhões, quebrar cadeias que nos prendem a um modelo ultrapassado, a um modelo que não deu certo de fazer política”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here